Uma “empresa” chamada Restart